top of page
Buscar
  • Jornal Tribuna Livre

Sobe para 10 as mortes por H1N1 em Goiás


Mais uma morte foi confirmada por gripe H1N1 em Goiás. Com essa nova notificação, passa para dez as mortes provocadas pela doença neste ano, com 69 confirmações de casos. A informação é do novo boletim de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), divulgado nesta quarta-feira (20/04), pela Secretaria da Saúde (SES-GO). “Estamos em estado de alerta, os números vêm aumentando, por isso antecipamos a campanha de vacinação contra a influenza para que a população mais vulnerável ao agravamento da doença seja imunizada”, destaca o secretário Leonardo Vilela, afirmando, ainda, que a vacina é a medida mais eficaz para enfrentar o problema. De acordo com o boletim, a décima morte é de uma moradora de Goiânia, uma idosa, que faz parte do grupo de risco preconizado pelo Ministério da Saúde (MS) para receber a vacina. Rio Verde lidera o número de mortes, com três casos. Goiânia teve duas mortes e o restante foi em Anápolis, Planaltina, Ouvidor, Caldas Novas e Ipameri, com um caso cada. Campanha de Vacinação A gerente de Imunizações e Rede de Frio da SES, Clécia Vecci, lembra que até o momento já foram enviadas 686 mil doses da vacina para todos os municípios goianos. “Enviamos todas as doses que recebemos do Ministério da Saúde, cerca de 48% de tudo que será enviado até o fim da campanha. A previsão é que o Estado receba mais 25% das doses até o dia 30 de abril e o restante até 15 de maio”, revela. Clécia alertou para a necessidade dos municípios realizarem uma estratégia eficiente para vacinar somente os componentes dos grupos prioritários, para que não haja falta de vacina. “O papel do gestor municipal é fundamental para vacinar somente os grupos de risco, devido à possibilidade do agravamento da doença nessas pessoas”, diz. Clécia Vecci destacou que pelo fato de o vírus ter entrado em circulação antes do previsto e com maior gravidade, gerando mortes, houve uma procura massiva pela população. “Mesmo com esse cenário, as doses de vacina foram calculadas para cobrir todos os grupos. Até o dia 20 de maio, final da campanha, Goiás receberá 1,5 milhão de doses para os grupos prioritários.” Outro ponto importante destacado por Clécia Vecci é sobre a necessidade das secretarias municipais de Saúde informarem quantas doses foram aplicadas. Até agora, 162 municípios não enviaram nenhum dado da vacina já utilizada. Grupos prioritários A vacina contra a gripe é aplicada na rede pública de saúde em pessoas que integram os grupos de risco: idosos, gestantes, crianças de 6 meses a menos de 5 anos, mulheres que estão na fase de resguardo (45 dias depois do parto), portadores de doenças crônicas, indígenas, população carcerária, profissionais de saúde e adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas.

Fonte: Do Mais Goiás



Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page