top of page
Buscar
  • Jornal Tribuna Livre

Relatório aponta 66 cidades que podem sofrer com o desabastecimento no período de estiagem em Goiás


Sessenta e seis cidades podem sofrer com a falta d’água segundo um relatório feito pela Saneago a pedido do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO). O parecer técnico também aponta as soluções que a empresa está realizando para que, no período da estiagem, a população não fique sem água. O documento foi apresentado pelo promotor Delson Leone Júnior, do Centro de Apoio Operacional (CAO) do Meio Ambiente e Urbanismo do MPGO, nesta terça-feira (3). Ele explica que essa medida tem o objetivo de antecipar soluções para evitar qualquer tipo de problema ao cidadão. O documento foi entregue no dia 20 de junho e foi assinado pelo presidente da estatal, Jalles Fontoura.

“Estamos verificando as soluções que estão sendo tomadas nos determinados mananciais e, da mesma forma, notificar atos como degradação. Além disso, constatada a irregularidade, acionaremos os promotores locais para verificar se haverá necessidade de ações judiciais ou extrajudiciais”, destaca o promotor.

O documento assinala quase todas as 66 cidades destacadas no levantamento estão com o baixo nível hídrico nos mananciais e a situação pode comprometer o abastecimento. Porém, o promotor destaca que é de extrema importância que os moradores façam o uso racional do recurso hídrico. “Não adianta todas essa ações e a população não fazer a sua parte. Necessitamos de uma consciência ambiental. Esse parecer técnico depende muito da reação da comunidade e juntamente, lógico, com a Saneago”, conta.

Por meio de nota, a estatal descartou, no momento, o risco de desabastecimento em Goiás e informou que faz o monitoramento dos mananciais e reservatórios da capital e interior. Leia na íntegra:

A Saneago informa que, no momento, não existe risco de desabastecimento de água tratada em Goiás. A Companhia monitora, atentamente, a situação dos mananciais e reservatórios na capital e no interior; e, além disso, tem promovido ações visando a regularidade do abastecimento. O relatório em questão é de finalidade, exclusivamente, técnica e apresenta, ao Ministério Público, as ações planejadas pela Saneago no sentido de reforçar o abastecimento para atenuar os efeitos do período de estiagem. A Saneago explica à população que não há motivo de alarde, mas que, por se tratar de período de estiagem, a orientação é para o uso consciente das reservas domiciliares de água tratada.

Soluções

No documento, a estatal destacou que em Goiânia, no Sistema Meia Ponte e João Leite – que teve situação de emergência decretada no início do ano devido a falta de chuvas – , está em construção do Linhão, que ligará o sistema Mauro Borges às regiões atendidas pelo Rio Meia Ponte. Outra solução que consta no documento aponta para a ativação de bombas para aumento da vazão e outras medidas para o abastecimento, inclusive a utilização de caminhões pipas.

Nas demais cidades, o documento também cita algumas providências. Em sua maioria, a decisão a ser tomada é a perfuração de novos poços e o rodízio de abastecimento. “Isso foi o começo do trabalho, mas cada ação e o cenário da sua região foi passado para cada promotor que vai analisar cada caso e cobrar as providências descritas no documento”, ressalta Delson.

Lista das cidades que podem ser atingidas pela falta d’água:

  1. Abadia de Goiás

  2. Água Limpa

  3. Anápolis

  4. Aparecida de Goiânia – Bairros abastecidos pelos sistemas Independência Mansões, Madre Germana, Lages e Tiradentes

  5. Araçu

  6. Aragoiânia

  7. Araguapaz

  8. Avelinópolis

  9. Bela Vista de Goiás

  10. Bom Jardim

  11. Buriti Alegre

  12. Campo Alegre

  13. Carlândia

  14. Caturaí

  15. Cezarina

  16. Cidade Ocidental

  17. Cocalzinho de Goiás

  18. Corumbaíba

  19. Cristalina

  20. Crixás

  21. Cumari

  22. Formosa

  23. Formoso

  24. Goiandira

  25. Goianésia

  26. Goiânia – Todos os bairros abastecidos pelos sistema Meia Ponte

  27. Goianira

  28. Goiás

  29. Goiatuba

  30. Guapó

  31. Hidrolima

  32. Indiara

  33. Ipiranga

  34. Iporá

  35. Jussara

  36. Luziânia

  37. Mairibotaba

  38. Maurilândia

  39. Morrinhos

  40. Mozarlândia

  41. Mundo Novo

  42. Mutunópolis

  43. Nerópolis

  44. Nova Crixás

  45. Novo Brasil

  46. Novo Gama

  47. Ouvidor

  48. Petrolina de Goiás

  49. Piranhas

  50. Pirenópolis

  51. Pires do Rio

  52. Planaltina

  53. Pontalina

  54. Povoado Floresta

  55. Rio Verde

  56. Sancrerlândia

  57. Santa fé

  58. São Luis dos Montes Belos

  59. São Miguel do Passa Quatro

  60. São Patrício

  61. Silvânia

  62. Souzalândia

  63. Taquaral de Goiás

  64. Trindade

  65. Valparaíso de Goiás

  66. Varjão

  67. Vianópolis

*João Paulo Alexandre é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo.


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page