top of page
Buscar
  • Do Mais Goiás

Biblioteca do Centro Cultural Oscar Niemeyer


Após de 12 anos da inauguração do Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON), em Goiânia, finalmente a biblioteca do complexo deve ser concluída em dezembro deste ano, segundo informações da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop). O projeto, que custou R$ 9 milhões, prevê a ocupação de dois pavimentos do prédio retangular com espaços dedicados aos públicos infantil, juvenil e adulto. Essa é a terceira de uma série de reportagens do Mais Goiás sobre as bibliotecas da capital.

O Centro Cultural Oscar Niemeyer foi inaugurado no dia 31 de março de 2006, no último dia do mandato do então governador Marconi Perillo (PSDB) que, à epoca, saía do governo para tentar, pela primeira vez, uma cadeira no Senado Federal. Na ocasião, o jornal Estadão destacou que a inauguração foi uma “despedida à altura dos altos índices de aprovação de Perillo no Estado”. A obra custou R$ 60 milhões do Tesouro do Estado e foi construído sobre uma esplanada de 26 mil metros quadrados. Mas a biblioteca do complexo foi entregue com apenas um andar funcionado e, desde então, vários projetos de reforma foram cogitados, mas as obras foram retomadas apenas no segundo semestre do ano passado.

A nova biblioteca do complexo levará o nome do jornalista Isanulfo de Abreu Cordeiro, que morreu em janeiro deste ano. O anúncio foi feito pela titular da Secretaria da Educação, Cultura e Esporte (Seduce), Raquel Teixeira, em abril. Na mesma época, a titular informou que a biblioteca seria concluída em junho, entretanto, a data foi adiada. Por nota a Seduce informou que “esta não é uma biblioteca comum e por isso seu processo de implantação tem sido demorado e complexo”.Em nota, a Seduce informou que a maior parte das obras estão concluída ou em fase avançada. São ainda cerca de 25 processos ao todo para aquisição de livros, móveis, equipamentos e contratação de serviços, como marcenaria e assistência técnica. O projeto foi inspirado nas mais inovadoras bibliotecas do mundo e o objetivo é implantar uma biblioteca moderna e interativa.AcervoPara compor o acervo da biblioteca, foi licitada a aquisição de 60 mil livros, dos quais 18 mil já foram entregues e estão em fase de processamento técnico. Atualmente uma equipe de três bibliotecários e dez estagiários trabalha no processamento técnico das obras que já foram entregues. O processamento técnico engloba catalogação, classificação, indexação, etiquetagem e organização de cada livro.Além de estantes para abrigar o acervo de 60 mil exemplares, o primeiro pavimento do prédio terá um palco para pequenas peças de teatro e contação de histórias, cineminha, seção de quadrinhos e periódicos, áreas de estar, mesas de estudo e terminais de autoatendimento. A seção infantil terá decoração lúdica, mesas, cadeiras e estantes adaptadas para crianças e adolescentes.Já o segundo pavimento é dedicado à Biblioteca Virtual, com seus tablets, computadores e TVs de última geração. Cerca de 55 computadores já foram adquiridos e estão embalados aguardando a conclusão das obras. Tendo como referência o conceito de “biblioteca viva”, a Biblioteca Jornalista Isanulfo de Abreu Cordeiro oferecerá atividades variadas de forma inclusiva e interativa.Móveis adquiridos para a biblioteca infantil. (Foto: Juliana França/Mais Goiás)ObrasO valor inicial da obra era de R$ 7 milhões e 750 mil. Entretanto, a Agetop informou que até junho já haviam sido gastos R$ 9 milhões na obra. De acordo com Ademir Ferreira, engenheiro responsável pela obra, falta pouco para a biblioteca ser concluída. “Falta pintar algumas paredes e colocar as mobílias. Basicamente fazer os acabamento finais”, garantiu.Diferente dos demais espaços do CCON, como o Palácio da Música e a Esplanada Cultural Juscelino Kubitschek, a biblioteca nunca chegou a ser inaugurada. Depois de pronta, o espaço contemplará festivais, cursos, palestras, lançamentos de livros, mostras de filmes e outras ações culturais.Primeiro pavimento. (Foto: Juliana França/Mais Goiás)Segundo pavimento. (Foto: Juliana França/Mais Goiás)*Juliana França é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page